quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Como sinto a amizade



“Cada segundo é tempo para mudar tudo para sempre”, Charles Chaplin

Em uma grande amizade, aprendemos que não importa a idade, o que importa é o que vem do coração. É preciso andar junto, mas nem sempre olhar na mesma direção. É preciso saber ouvir, falar e calar. É preciso doar e perdoar. É preciso acariciar, aconchegar, adiantar. Mas é, sobretudo e imprescindível, saber amar. Que o Tomás e a Carol sigam por este caminho, nem sempre simples, nem sempre exato, mas onde um segundo faz toda a diferença.



*Registro de Tomás e Elisa, sua amiga mais jovem, neste caminho que estão aprendendo a construir.

Um comentário:

  1. Está aí, na amizade, um terreno onde muitos, muitos aprendizados são possíveis. Tenho dedicado grande parte das minhas energias à compreensão daquela que, para mim, é uma das relações mais misteriosas do universo: a relação entre dois amigos(as). Irmãos que a vida, caprichosamente, une, numa determinada estação dessa estrada. Por que? Para que? E como podemos responder com fidelidade ao amor e à cumplicidade que surge nesta relação? Perguntas com algumas respostas dentro de mim... Como uma aprendiz da amizade e da fotografia, não poderia deixar de dizer que este registro aí em cima fala muito aqui dentro. Beijo pra você, minha irmã Luisa, que encontrei numa das estações dessa vida.

    ResponderExcluir